app-storearea-applicatoriarea-privatiarea-produttoriarea-progettistiarea-rivenditoriarrow-downarrow-rightbackbookcalculatorclosecontrolsdownloademailenvelopeeyefilterflaggoogle-playlinklogo-fila-footerlogo-filalogo-recommendedmarkermateriali-esternomateriali-finituramateriali-internomateriali-lavaggiomateriali-manutenzionemateriali-pavimentomateriali-pretrattamentomateriali-protezionemateriali-rivestimentonewsletter-arrownewsletterpagenav-gridpagenav-nextpagenav-prevphone-filledphoneplayplusprintsearchshare-facebookshare-googleplusshare-linkedinshare-twittershareslider-arrow-leftslider-arrow-rightsocial-facebooksocial-flickr-bnsocial-flickrsocial-instagramsocial-linkedinsocial-pinterestsocial-twittersocial-youtubetoolbar-apptoolbar-capitolatotoolbar-certificationstoolbar-downloadtoolbar-eyedroppertoolbar-product-safetytoolbar-product-sheettoolbar-product-techtoolbar-retailertoolbar-supporttoolbar-videotutorialupload-file

Palazzo Chiericati

Italy

Museu cívico e Vicenza desde 1855, o Palazzo Chiericati é um edifício projetado por Andrea Palladio em 1550, como residência nobre para o conde Girolamo Chiericati, e completado no século XVII. Atual sede da Pinacoteca cívica, desde 1994 encontra-se na lista do Património da Humanidade da Unesco juntamente com outros edifícios paladianos da cidade.

Palladio deu origem aqui a uma arquitetura absolutamente inédita para a época: um edifício palacete e vila ao mesmo tempo. Constituído por um corpo central com duas alas simétricas ligeiramente recuadas, o Palazzo Chiericati apresenta no piso inferior um pórtico com colunas que percorre toda a fachada enquanto, no piso nobre, duas elegantes galerias nas extremidades da parte central do prospeto. 

Para conferir magnificência ao edifício, mas também para protegê-lo das frequentes inundações, Palladio elevou-o sobre um pódio de 50 cm e na zona central da fachada define a entrada com uma escadaria monumental.

A escadaria do século XVI em Pedra de Vicenza não tratada, além do desgaste normal da passagem das pessoas, estava comprometida por ter sido coberta por tapetes fixados com fita de duas faces: ao longo do tempo, a cola tinha deixado marcas evidentes e difíceis de remover. O pavimento da galeria (240 m2) em mármore e o rodapé externo que reveste a parede perimetral, devido ao desgaste e à passagem das pessoas, tinham perdido o revestimento natural, estando sujos e manchados.

A escadaria interna em pedra de Vicenza e os patamares (em tijoleira, em mármore-cimento “à veneziana” e em pedra de Vicenza) foram tratados primeiro com o removedor de cera FILASOLV para eliminar os resíduos de cola deixados pela fita, sucessivamente lavados com FILAPS87 (diluído 1:10) e por fim com DETERDEK (diluído 1:15). As lavagens foram realizadas rigorosamente com instrumentos manuais sem o auxílio de máquinas para preservar as superfícies em pedra submetidas ao vínculo das Belas Artes. Para a proteção, optou-se por uma solução ecológica FILAMP90 ECOPLUS protetor antimanchas à base de água com baixas emissões de VOC, que contribui para a aquisição dos créditos LEED, certificado GEV e marcação EC1PLUS.  FILAMP90 ECOPLUS não forma uma película superficial, mas penetra em profundidade no material, protegendo-o e mantendo inalteradas as características estéticas e físico-químicas da pedra. Sobre a superfície seca foi por fim aplicado FILAMATT, o protetor de acabamento com efeito natural para tornar mais simples a manutenção e impedir que a sujidade se fixe nas superfícies. As superfícies em mármore do pavimento da galeria externa e do rodapé foram limpas com o detergente desengordurante FILAPS87 (diluído 1:20) e trabalhado com monoescova.